54 3231.1002 | 54 3232.9786 | WhatsApp 54 9 8424.8037
contato@funerariasagradafamilia.com.br
Avenida Moreira Paz, 1216, Vacaria / RS

O Que Fazer Com os Pertences de um Falecido 10 de setembro de 2019

O momento de lidar com os objetos familiares de um falecido é bastante complicado. Mas você sabe o que fazer com esses itens e como ajudar a todos com esse processo?

Se essa atividade foi destinada a você, a resolução das pendências do familiar que faleceu e deixou bens precisa ser feita com certo preciosismo aos detalhes.

O ideal é que você documente todos os bens e objetos pessoais da pessoa, para que eles possam ser divididos entre os familiares próximos que possuem direito a esses bens.

Quando o processo não é feito da maneira adequada, isso pode prejudicar o processo de luto, que por si só já é um período de desorganização da vida.

O Que Fazer Com os Pertences de Alguém Que Faleceu?

O primeiro passo sem dúvidas é procurar se essa pessoa deixou algum documento no qual dividia seus bens, como um testamento.

Se não existe registro de como a pessoa gostaria que seus bens fossem divididos, então é hora de partir para um inventário dos bens materiais, de modo que esses bens possam ser divididos aos interessados de maneira igualitária.

Um Processo Doloroso

Infelizmente não há como negar que todo o processo é doloroso, portanto, você deve reunir forças para lidar com os pertences que estão em casa quando sentir que de fato esse é o momento certo. Não tenha pressa para essa atividade!

Fatalmente você encontrará muitos objetos que não fazem sentido serem mantidos.

O ideal nesse processo é separar os itens que são de fato sentimentalmente valiosos em uma caixa. Após essa separação, não tenha receio de doar ou jogar fora os itens que precisam ser destinados a locais diferentes da sua casa.

Guarde fotos e objetos que remetem fortemente a lembrança da pessoa, como algo que realmente vale a pena por ter apego sentimental.

O Que Fazer Com o Quarto da Pessoa?

Se o quarto da pessoa falecida não era dividido com mais ninguém, é hora de dar uma nova pintura ao ambiente e deixá-lo mais neutro, visando evitar as dolorosas lembranças.

Fazer esse tipo de mudança irá diminuir o sofrimento que o quarto oferta ao trazer as lembranças à tona.

Deixar a porta trancada não irá causar o mesmo efeito! Deixe a porta aberta e o local iluminado e bem cuidado, como uma forma de zelar pelas lembranças sem que elas lhe causem vontade de chorar todas as vezes que passar por ele.

Se você não consegue fazer as mudanças necessárias, tudo bem! Tome um tempo para que isso seja um processo natural.

Caso o tempo esteja passando e essa pendência te deixe desconfortável, é hora de pedir ajuda a algum parente ou pessoa de confiança para fazer todas as mudanças necessárias no ambiente. 

Esse realmente é um momento muito difícil, pois com a mudança do ambiente você percebe mais claramente que aquela pessoa não faz mais parte do seu cotidiano.

Mesmo que isso traga à tona a dor da perda, é preciso lidar com esse sentimento da melhor maneira possível e se você não está conseguindo, ajuda profissional pode fazer toda diferença neste momento.

Se você precisar do serviço de organizadores ou de acompanhamento psicológico para lidar com a perda, não tenha vergonha de procurar ajuda.

Nos casos em que o quarto da pessoa era dividido com mais alguém, é importante conversar com essa pessoa sobre algumas mudanças e garantir um novo visual para o espaço.

Doe o Que For Possível

Transforme esse momento de dor em um momento solidário. Durante a separação dos itens que precisam ser levados para fora da casa, separe o que realmente pode ser doado daquilo que não tem serventia.

Certamente transformar esse momento difícil na alegria de alguém irá ser reconfortante para você. 

O fato de ver alguém sorrindo ao receber uma doação é algo que vai te ajudar a entender o significado de desapegar dos itens pessoais do ente querido e que já não fazem mais sentido serem mantidos em sua casa.